Economia colaborativa: entenda essa tendência

É, amigo e amiga, o mundo mudou e a economia colaborativa é uma prova disso. Se você faz parte de uma fatia mais jovem da nossa sociedade, certamente conhece (e provavelmente já usou) coworking, Uber, Airbnb, aplicativo de empréstimo de roupas e objetos ou qualquer outro serviço de compartilhamento.

Mas não se engane. Mesmo que você tenha mais de 45 ou 50 anos, a possibilidade de já ter feito uso destes tipos de serviço também é grande, uma vez que eles são cada vez mais populares.

Mas qual é o motivo deste crescimento? Por que a economia colaborativa faz tanto sucesso? Acompanhe para entender melhor este conceito!

O quê é a economia colaborativa?

economia colaborativa maos

A economia colaborativa é o acesso a bens e serviços por meio do compartilhamento e não da sua aquisição. 

E isso pode acontecer de diversas maneiras de negociação, como uma troca, aluguel, doação ou empréstimo.

Ou seja, esse conceito busca mudar a realidade atual de consumo, indo contra o acúmulo de bens e, consequentemente, o esgotamento de recursos. 

Como funciona a economia colaborativa?

economia colaborativa equipe

Você com certeza precisa se deslocar no seu dia a dia, seja para ir ao local de estudo, para trabalhar, se divertir ou seja qual for o motivo. Mas pense bem… Para isso você precisa possuir um carro? A resposta é não!

Claro, o transporte público está na nossa sociedade há muito tempo. No entanto, mais recentemente, serviços de transporte que usam aplicativos surgiram. Ao julgar pela maneira como eles se popularizaram, é seguro dizer que eles vão estar entre nós por muito tempo.

A ideia da economia colaborativa vai de encontro com desapegar da posse de produto ou serviço e utilizá-lo apenas quando for necessário. Isso traz economias para o bolso e ainda reduz o impacto ambiental.

Leve o mesmo conceito para outras áreas e note que podemos alugar um imóvel em uma cidade longe da sua casa, um local para trabalhar com todas as melhores condições de um escritório moderno e até fazer investimentos. A comunidade do compartilhamento só cresce e isso ainda vai durar por muito tempo.

Quais os benefícios da economia colaborativa?

Podemos citar inúmeras vantagens que o crescimento do compartilhamento como forma de consumo traz para a sociedade. Entre eles:

A sustentabilidade – Usar um bem plenamente durante toda a sua vida útil reduz os desperdícios tão comuns ao regime de posse.  Assim, podemos dizer que essa nova forma de consumo é muito mais moderna e sustentável.

Uma nova forma de gerar renda – Novas formas de consumir precisam de pessoas dispostas a investir seu tempo e seu dinheiro nesta ideia. Isso cria oportunidades de trabalho e também de geração de renda para quem investe e depois compartilha o bem.

Comunidades mais próximas – Enquanto uma economia baseada na posse afasta as pessoas, a economia baseada no compartilhamento alimenta a troca informações, de bens e de serviços. A aproximação entre as pessoas e a criação de novas comunidades é sempre um motivo para comemoração.

Vida mais simples – Uma pessoa que usa bens e serviços compartilhados não precisa acumular tantos bens. É possível viver melhor com menos.

Acesso ao capital – Precisa de recursos para um novo negócio ou para o lançamento de um produto? Se a sua ideia for bacana, certamente é possível encontrar pessoas interessadas em investir nele por meio de um investimento coletivo. Todos saem ganhando!

Qual a diferença entre economia colaborativa e compartilhada?

economia colaborativa acordo

A economia colaborativa e compartilhada vem ganhando força desde a crise financeira que se iniciou em 2008.  Ambas têm como base a associação coletiva, cujo objetivo é reduzir o uso de recursos naturais, porém, elas possuem diferenças entre si.

Na economia compartilhada, as pessoas substituem a aquisição de um bem em favor do uso coletivo. A intenção aqui é que todos se ajudem mutuamente.

Já no caso da economia colaborativa, os consumidores se reúnem para adquirirem bens em comum.

Desvantagens da economia colaborativa

A economia colaborativa possui muito mais vantagens do que desvantagens. Sendo assim, na hora de empreender no setor ou de consumir produtos e serviços desta modalidade, a dica é ficar atento à reputação e à avaliação de usuários que já tiveram vínculos com pessoas e empresas envolvidas.

A segurança é um dos fatores mais importantes da economia colaborativa. Portanto, sempre que colocar um item ou bem seu a disposição de outra pessoa, certifique-se de ter um meio de comprovar essa transação. Existem diversas plataformas que oferecem contratos simples, reservando os direitos e deveres de cada um.

Se no seu caso você vai receber algo em dinheiro, o ideal é ter um método de pagamento, de preferência, antecipadamente. Uma outra maneira de não ter prejuízos é solicitar alguma garantia quando é você que oferece algo. Pode ser uma pagamento antecipado, uma reserva ou cheque caução.

Avalie também a possibilidade de fazer um seguro, dependendo do tipo de produto ou valor do bem, pois caso ocorra algum extravio, você estará protegido.

Agora se você está atrás de um produto ou serviço, antes de adquiri-lo, avalie a opinião de outros usuários e garanta o mínimo de informação para não cair em golpes. 

Por quê a economia colaborativa é uma tendência?

economia colaborativa reuniao

A política do compartilhamento como forma de um consumo mais consciente nasceu na Europa. Certamente, como toda boa ideia, logo foi rompendo fronteiras. Hoje há comunidades que dividem os bens por todo o mundo!

O Brasil é claro, está entre os países em que este conceito vem crescendo. Hoje estamos todos muito mais próximos graças à popularização dos smartphones. Reunir pessoas que oferecem e que precisam de um produto ou um serviço se tornou uma ideia muito mais simples.

Não importa a cidade em que você está neste momento, certamente há gente disposta a compartilhar seus bens ou serviços e outras que topam consumir desta forma. Todos saem ganhando, até o planeta!

Quais os impactos para a sociedade?

Imagine o dono de um apartamento em uma cidade do interior. Ele mora em uma outra cidade e passa alguns fins de semana de lazer neste local, então o investimento não tem rendimento na maior parte do tempo.

Agora pense em uma pessoa que quer passar apenas uns dias de praia com a família. Ora, não vale a pena para este turista comprar um apartamento para aproveitar um período curto de tempo.

Está claro que o primeiro exemplo pode se beneficiar do segundo e vice-versa. A economia se beneficia, e o bolso dos envolvidos também. O consumo desta forma é mais eficiente, tornando um imóvel que ficaria parado por muitos dias em um local que recebe mais pessoas e se torna em uma fonte de renda mais efetiva para quem investiu nele.

Isso acontece com um carro, com um escritório, com roupas e qualquer outro bem. 

Consumir menos, com mais qualidade é respeitar os recursos que são gastos cada vez que produzimos um novo bem. Mas não é só isso. É possível colher muitos outros benefícios com a economia colaborativa.

O quê é uma empresa colaborativa?

economia colaborativa lider

Uma empresa colaborativa é aquela que oferece a aquisição de bens e serviços em conjunto.

Contudo, por se tratar de um rompimento total com a lógica do mundo dos negócios, em que o lucro é o grande objetivo, para que uma empresa se torne colaborativa pode exigir um tempo de adequação às novas diretrizes.

Não importa o tamanho da empresa, se é pequena ou grande, todas elas podem seguir esse modelo. Em alguns casos é possível utilizar a ferramentas, fazendo parcerias, para desenvolver seus produtos em conjunto com seus colaboradores.

Uma outra maneira de se tornar uma empresa colaborativa é compartilhando o seu local de trabalho com outras pessoas, o que chamamos de coworking. Isso porque, além de ocupar um espaço que não vem sendo bem aproveitado dentro da sua área física, é uma excelente oportunidade de conhecer novas pessoas e trocar ideias.

O crowdfunding ou financiamento coletivo, modalidade na qual qualquer pessoa pode doar valores para contribuir com a causa, é uma opção para quem deseja aderir à economia colaborativa.

Exemplos de plataformas de economia colaborativa

economia colaborativa carro

Com certeza você já usou algum serviço de economia colaborativa. Veja abaixo sobre o que estamos falando e conheça as principais empresas que aderiram a essa modalidade.

Airbnb – serviço de aluguel de residências

Através do Airbnb é possível alugar o todo ou parte de sua própria casa, em qualquer lugar do mundo, como uma forma de acomodação extra.

Uber – serviço de caronas compartilhadas

A Uber funciona através de um aplicativo de transporte que permite a busca por motoristas baseada na localização. O serviço é semelhante ao de um táxi tradicional, porém dependendo do tipo de “corrida”, você pode compartilhar o carro e os custos com outras pessoas.

DogHero – serviço para cuidados com pets

A DogHero opera uma plataforma online que conecta donos de cachorros a pessoas que oferecem serviço de hospedagem ou passeios aos cães.

Financiamento Coletivo – Crowdfunding

O crowdfunding nada mais é do que a obtenção de capital para iniciativas de interesse coletivo. Esse termo costuma ser bastante utilizado em ações na Internet com o objetivo de arrecadar dinheiro para filantropia, artistas, jornalismo cidadão, pequenos negócios e empresas emergentes, campanhas políticas, entre outros.

Como investir em negócios a partir de uma economia colaborativa?

economia colaborativa mulheres

Se você está interessado em adotar a economia colaborativa ou investir em negócios a partir dessa modalidade, é preciso se atentar para as dicas a seguir.

Mantenha os seus custos sob controle, uma vez que as companhias que possuem um setor financeiro organizado têm mais chances de sair à frente da concorrência.

Procure novos parceiros, para a inclusão de outros bens e serviços, pois isso será necessário no decorrer dos anos.

Ofereça ao consumidor grandes experiências, já que o perfil do consumidor atual privilegia as empresas que satisfazem seus clientes. 

Vangardi Investimentos

A Vangardi é uma plataforma digital que atua como correspondente bancário para facilitar o processo de contratação de empréstimos para o setor imobiliário.

Por meio do investimento coletivo, estamos revolucionando a sua maneira de investir no mercado imobiliário. Junto a construtoras de grande potencial, criamos oportunidades de investimentos com retornos maiores ao grande público.

Após anos de experiência em avaliação de empresas, negócios e empreendimentos, a Vangardi apostou em uma modalidade de investimento moderna e inovadora, criando um “braço” de investimento coletivo.

Hoje somos uma fintech focada em revolucionar o financiamento do mercado imobiliário, trazendo investidores de todo o país para estar na vanguarda de uma inovadora maneira de investir.

Abaixo enumeramos algumas razões pelas quais você deve investir em um financiamento coletivo na Vangardi.

Rentabilidade bem acima da média

A alta rentabilidade é o primeiro motivo para você fazer investimento coletivo. para você ter uma ideia, se por um lado a rentabilidade da poupança é de 1,57% ao ano, na Vangardi o retorno fica em torno de 11% a 15% ao ano, pré- fixado.

Ou seja, nessa modalidade o investidor tem chances de lucros maiores, uma vez que os empreendimentos que receberam o investimento têm perfis promissores de desenvolvimento.

Investir na economia real

Através do investimento coletivo há mais oportunidades de trabalho e dinheiro circulando na economia. Sendo assim, a modalidade favorece a própria sociedade, uma vez que disponibiliza recursos para o desenvolvimento de diversos empreendimentos essenciais.

Estar alinhado a uma tendência

Como o Brasil está cada vez mais aderindo às oportunidades de financiamento coletivo para investimentos, fazer parte disso te torna mais alinhado com as práticas financeiras do exterior, oferecendo aos investidores segurança e rentabilidade.

Diversificar a carteira

Quando o assunto é investimento, uma das palavras mais importantes é “diversificação”, isto é, encontrar modalidades diferentes para aplicar e ampliar as chances de melhores resultados.

Aproveitar a retomada da construção civil

O setor imobiliário é um dos principais em que se pode investir por meio do investimento coletivo. Hoje em dia, as construtoras utilizam desta moderna forma de financiamento para auxiliar no desenvolvimento de seus empreendimentos.

Conclusão

Não dá para negar que a economia colaborativa chegou para ficar. É uma verdadeira forma de fazer a população repensar os seus hábitos e adotar uma postura mais consciente frente ao consumo de bens e serviços.

É necessário que saibamos usar da inteligência coletiva para encontrar caminhos mais sustentáveis e tentar diminuir ao máximo os prejuízos que causamos ao planeta, seja vendendo roupas usadas, alugando uma casa temporada ou utilizando transporte coletivo.

O equilíbrio é fundamental nos dias atuais.

Rolar para o topo